Pages - Menu

terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

‘Vivo por milagre’, diz protetora de animais sobre cão arrastado por carro em movimento


Um cachorro resgatado no sábado (22) em São Carlos (SP) ficou gravemente ferido após ser arrastado por um veículo em movimento. “Está vivo por milagre”, disse a protetora de animais Dora Oliveira Soares, que resgatou o animal.
Foto: Marcos Escrivani
O caso repercutiu na internet após ser divulgado pela protetora, que considerou o ato uma “maldade humana”.
A protetora soube do caso na sexta-feira (21) enquanto fazia uma campanha solidária no centro da cidade. Ela se dirigiu, então, ao endereço da denúncia, mas não encontrou o cão. Decidiu, então, abordar o caso nas redes sociais em busca de mais informações. No dia seguinte, recebeu uma ligação por meio da qual foi informada que Jhow estava na rua 7 do bairro Antenor Garcia.
“Fui o mais rápido que pude e encontrei o cachorrinho muito ferido, com o rosto infeccionado. Perguntei para pessoas o que tinha ocorrido e disseram que o cachorrinho foi arrastado por um carro. Que era vítima de maus-tratos e foi abandonado”, disse a protetora ao portal São Carlos Agora.
Foto: Marcos Escrivani
Após o resgate, o cachorro foi levado para uma clínica veterinária. Ele corre o risco de ficar cego de um dos olhos por conta dos ferimentos. Jhow deve, porém, recuperar-se com o tempo dos maus-tratos sofridos.
Sabendo que, em breve, o animal poderá ter um novo lar, Dora passou a anunciá-lo para adoção. Interessados em adotá-lo devem entrar em contato com a protetora pelo telefone 16 99168-0063.
Fonte: anda.jor.br

Proibição de caça no Brasil evitou coronavírus, diz infectologista


A proibição de caça a animais silvestres foi um fator que inibiu a possibilidade de mutação do vírus que passa de animais para seres humanos, causando infecção. Em entrevista ao Jornal do Piauí na terça-feira (28), o infectologista Kelson Veras falou sobre o vírus e deu dicas de como se prevenir de doenças cujo o contágio se dá pelo contato.
Segundo o infectologista, há espécies comuns de coronavírus que causam resfriados e até pneumonias em humanos. A epidemia que atualmente afeta a China é causada por uma mutação de uma espécie de coronavírus que infectava animais e ganhou forma de se alastrar entre humanos.
“Nossas leis de combate à caça de animais silvestres devem ter evitado muitos casos semelhantes acontecerem aqui. Na China é porque muitos comércios, os mercados, são realmente infestados de toda espécie de animal que se possa imaginar. O coronavírus, normalmente o que passou para o ser humano veio de morcego, mas ele passou antes por um animal que é consumido nesses mercados”, explicou Kelson Veras.
Coronavírus não é novo
De acordo com o infectologista, esta é a terceira vez que o coronavírus passa por mutação para afetar seres humanos. Casos foram registrados em 2002 com a Síndrome respiratória aguda grave (geralmente abreviada para SARS, do inglês Severe Acute Respiratory Syndrome), quando o Hospital Natan Portela ganhou uma sala de pressão negativa para cuidar de possíveis casos.
Em 2009, outros casos surgiram na Arábia Saudita, quando o coronavírus passou a infectar humanos a partir de camelos. “Agora em 2019 estamos com outra mutação do coronavírus justamente porque lá na China você tem muito contato em mercado com animais silvestres. É muito fácil esse coronavírus que infectava um animal infectar um homem. A gente diz que é uma zoonose, quer dizer, uma doença que a partir de um animal pode passar para um homem”, reafirmou Veras.
Transmissão se dá por pessoas
Não é através de produtos chineses que a infecção se dá. “È através de pessoas, pessoas com o vírus. Essas pessoas podem se deslocar de avião ou de navio sem sintomas, sadios e só ao chegar, demonstrar que estão doentes”, explica o infectologista.
Prevenção
A higiene é o fator preponderante para se livrar de doenças cuja transmissão se dá por contato.
“Ter máscara no seu veículo. Ao menor sinal de alguém espirrando ou tossindo, usar essa máscara, pois a gotícula que essa tosse elimina é uma das formas de transmissão. Tocou na bagagem do passageiro, apertou a mão do passageiro, limpar as mãos com álcool e gel, que tem em qualquer farmácia, antes de tocar seus olhos, seu nariz e sua boca”, aconselha.
Ainda de acordo com o infectologista, é desaconselhado viajar para regiões como a China em que há uma epidemia em andamento.
Por Valmir Macêdo
Fonte e foto: Cidade Verde

Nota do Olhar Animal: Mais uma vez a notícia que impacta é a dos efeitos que a caça têm para os humanos. Ainda são poucos o que se importam com o sofrimento e injustiça impostos aos animais caçados. Os humanos, em sua maioria, só se sensibiliza quando o problema lhes afeta.


Mulher abandona filhote de cachorro em casa desocupada em Sorocaba, SP



Câmeras de segurança registraram o momento em que uma mulher abandona um filhote de cachorro em uma casa desocupada na Vila Angélica, em Sorocaba (SP), na manhã de domingo (23).

Nas imagens, é possível ver que a mulher aparece na rua carregando o cachorro no colo. Ela caminha em direção ao imóvel. Em seguida, ela passa o cachorro pelo portão, deixa o filhote e sai correndo .
Em entrevista ao G1, uma moradora, que preferiu ter a identidade preservada, contou que foram as câmeras da casa dela que fizeram o flagrante. Os moradores do bairro se reuniram, mas não identificaram a mulher que aparece nas imagens.

“Não se faz isso com um bichinho. Essa casa está para alugar faz tempo, ninguém vem. Ele ia morrer de fome, então colocamos água e ração”, conta.
Uma das moradoras do bairro, Cristiane dos Santos, resolveu resgatar o filhote, que é uma fêmea, e ficar com ele até encontrar um lar definitivo.
“Não posso ficar com ela porque já tenho dois cachorros e três gatos. Mas sempre faço isso. Eu resgato, cuido e encontro um lar bom pra eles depois”, relata.
Os moradores contaram que entraram em contato com o Conselho Municipal de Proteção e Bem Estar Animal de Sorocaba e pretendem registrar um boletim de ocorrência.
Abandono de animais em Sorocaba
Um vídeo enviado à TV TEM mostrava que um vizinho jogava ração para os cães, que comiam desesperados. Os cachorros estavam magros e, segundo relatos, também estariam doentes e passando fome (veja o vídeo abaixo).
Os agentes fizeram a retirada dos cães por cima do muro e cada animal foi avaliado por uma veterinária. Eles foram encaminhados ao Canil Municipal, onde irão receber cuidados especiais.
O abandono é considerado uma forma de maus-tratos a animais, portanto é crime (Art. 32, da Lei Federal nº. 9.605/98). A pena varia de 3 meses a 1 ano de detenção e multa.
Em Sorocaba, denúncias sobre casos de maus-tratos contra animais podem ser feitas pelos telefones da Polícia Militar (190) e Guarda Civil Municipal (153), em situações emergenciais e de flagrante.
Por Caroline Andrade 
Fonte: G1 ///Fotos: Arquivo Pessoal



Galos explorados em rinhas são encontrados com olhos perfurados em Estância Velha, RS

Galos explorados em rinhas foram apreendidos durante operação desencadeada pela Polícia Civil e Secretaria do Meio Ambiente, na última semana. Alguns dos animais, conforme a Polícia Civil, apresentavam ferimentos e tinha os olhos vazados, furados durante as rinhas sangrentas.
Ao todo, 12 galos foram recolhidos em dois locais fiscalizados pelos agentes. As ações aconteceram nos bairros Sol Nascente e Das Quintas e são resultado de investigações que tramitam na Delegacia local oriundas de denúncias anônimas.

Os donos dos animais irão responder criminalmente por maus tratos
Fonte e fotos: O Diário

A incrível transformação de uma cadela resgatada pela ‘Ajuda a Alimentar Cães’


Uma cadela com apenas 4kgs foi encontrada  numa propriedade privada, acorrentada e sem lugar para se abrigar da chuva. “Molhada e gelada”, não tinha comida nem água.
A associação Ajuda a Alimentar Cães resgatou a cadela, que agora se chama ‘São’, tendo esta dado entrada na clínica AuQmia para tomar um banho quente e ser tosquiada. Um dia depois, as mudanças são impressionantes.

“Não vamos permitir que mais ninguém maltrate a São. Ela precisa de um abrigo, do conforto de uma cama, de saber o que é ter comida e água sempre disponíveis e de muito amor”, escreveu a associação numa publicação nas redes sociais.
A cadela está agora disponível para adoção responsável.
Fotos: Ajuda a Alimentar Cães
Fonte: JM Madeira / mantida a grafia lusitana original

Lince reage a abusos e ataca adestrador durante espetáculo circense


Um lince de um circo localizado em Tskhinval, capital da República da Ossétia do Sul, “perdeu a cabeça” e atacou seu adestrador durante o espetáculo.
O vídeo publicado nas redes sociais mostra o momento em que o adestrador tenta encerrar a atuação, puxando a coleira do animal. Entretanto, o lince não estava respondendo aos comandos do adestrador.
Pouco depois, o apoio onde estava o lince despencou, depois da insistência do adestrador para que o animal obedecesse. Ao ficar sem apoio, o lince, assustado, partiu para cima do adestrador, causando momentos de pânico no público presente. Momentos depois, o animal foi tranquilizado, enquanto o estado de saúde do adestrador ainda é desconhecido.
Fonte e foto: Sputnik News


Associação diz que toureiro João Moura maltrata cães ‘há muitos anos’


Associação de resgate de galgos diz que realizou várias viagens para resgatar cães que estavam ao cuidado de João Moura e partilhou com os utilizadores algumas imagens chocantes de animais que estão ao seu cuidado.
A polémica em torno do cavaleiro tauromáquico João Moura parece estar longe do fim. Depois de ter sido detido por suspeita de maus tratos a animais e de ver 18 dos seus cães lhe serem retirados, a Katefriends — uma organização sem fins lucrativos que resgata e recuperacães da raça galgo – fez no sábado uma publicação onde denuncia estar a par dos maus tratos levados a cabo por João Moura e revela que tem vindo a resgatar animais desta raça aos cuidados do cavaleiro tauromáquico.
“Ficaram chocados com o que o João Moura fez a estes 18 galgos, lamento informar-vos mas há muitos anos que katefriends.com faz 500 km (…) para trazer bebés e adultos completamente anoréxicos deste senhor sempre neste estado”, começa por dizer a publicação partilhada no Facebook.

“Na maioria das vezes sobram poucos por terem morrido de fome, porque nem sempre posso largar a minha vida profissional e sair a correr como gostaria. Houve até vezes, na impossibilidade de me deslocar, voluntários trazerem-nos para a katefriends.com para evitar mais mortes. O pior, e parece que ninguém se lembra, é que existem imensos, tantos que nem imaginam ‘Joões Mouras’ no nosso país”, acrescenta a associação, realçando que “tudo isto se deve apenas, por ainda não terem PROIBIDO as corridas de galgos em Portugal, devido a interesses económicos e políticos relacionados com este lobby, apesar das denúncias”.
“Enquanto o estado Português e todos os cidadãos, não se consciencializarem que esta chacina só vai acabar quando as corridas forem proibidas, nada vai mudar, pois o João Moura até pode ir preso mas os outros continuam a usar e deitar fora os galgos”, refere a publicação.
A associação pede que os utilizadores assinem uma petição, a “única petição existente em Portugal”, para que se proíbam as corridas de galgos, juntamente com “todo este sofrimento” e deixa imagens chocantes de animais que ficaram ao seu cuidado.
Recorde-se que o cavaleiro tauromáquico foi constituído arguido, esta quarta-feira, por deixar subnutridos 18 cães de raça galgo. No mesmo dia foi libertado com o Termo de Identidade e Residência. Um dos animais acabou por não resistir à falta de nutrientes e morreu na quinta-feira.
“Alguns estavam magros, mas não os tratei mal”, disse João Moura, em sua defesa, em declarações ao jornal O Farpas. “Agora vão instruir o processo e vai seguir para a frente. Já prestei as minhas declarações e estou em casa tranquilo e com a consciência tranquila. Não matei ninguém, não roubei ninguém, não tratei mal os meus cães”, acrescentou.
Fonte e fotos: Jornal Sol / mantida a grafia lusitana original