Pages - Menu

terça-feira, 26 de maio de 2020

Canil Municipal de Pelotas (RS) tem 43 animais disponíveis à adoção


Entre fêmeas e machos de todos os portes, o Canil Municipal conta, atualmente, com 43 animais disponíveis para adoção, e está em campanha para arrecadar doações de cobertas, mantas, edredons, roupinhas e caminhas para proteger os pets do frio. Esses materiais podem ser entregues na sede do próprio Canil, à BR-392, km 71, ou no Centro de Controle de Zoonoses, à rua Lobo da Costa, 1.764, das 8 às 14h.
A chefe do Departamento de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde (SMS), Isabel Madrid, informa que a pessoa interessada em adotar um cão é atendida e orientada pela veterinária do Canil. Questões como estilo de vida do futuro dono do animal, características do local onde vive e objetivo da adoção são consideradas pela profissional antes de recomendar um cachorro específico.

A finalidade da procura pela adoção influencia na sugestão do animal. São considerados fatores como o interesse em companhia ou guarda de pátio, e, ainda, a quem se destina – crianças, idosos ou outros públicos. “Temos cães de todos os portes e temperamentos. Cada um é indicado para este ou àquele objetivo”, esclarece Isabel Madrid.
Termo de posse responsável
Para adotar, o interessado precisa somente apresentar um documento e assinar o Termo de Posse Responsável. Nada mais é solicitado pelo Canil. Todos os animais disponíveis são castrados. Há cães de raças bravias, também para serem acolhidos e cuidados nos lares de moradores da cidade. Nestes casos, servidores do Canil vão às localidades para onde o animal vai morar, a fim de avaliar se as condições são adequadas.
Desde o início do ano, até este mês, houve 45 adoções de pets do Canil Municipal. Com a expansão do novo coronavírus, esse número sofreu queda de cerca de 50%. No mês de maio, somente cinco animais foram para um lar definitivo. Isabel Madrid salienta que “este momento, com as famílias mais em casa, talvez fosse oportuno para adoção. Os cães, como cientificamente está comprovado, são muito importantes às pessoas, tanto física quanto emocionalmente”.
O Canil está aberto de segunda a sextas-feiras, das 9 às 12h e das 13h30min às 16h30min. Aos sábados, das 10 às 16h ininterruptamente.
Com a queda de temperaturas, o Canil necessita de cobertores, mantas, edredons, roupinhas e caminhas para os cães. O material precisa ser trocado com frequência, seja para lavar, seja para substituição por outro em melhores condições de uso. Nos dias frios, os animais sempre são vestidos. As peças doadas são exclusivamente utilizadas para proteção e conforto dos cachorros.
Fonte E FOTO: Revista News

Nota do Olhar Animal: “Os cães, como cientificamente está comprovado, são muito importantes às pessoas, tanto física quanto emocionalmente”. A questão é saber se as pessoas são importantes para os cães, se cuidarão dele, se buscarão entender suas necessidades e respeitá-las. Porque animais não são brinquedos, remédios ou qualquer coisa que vise atender a necessidades humanas. Eles existem para seus próprios propósitos.


Senado deve avaliar se reconhece “rodeio crioulo” como cultura



Por
David Arioch
-

A prova de laço, parte do "rodeio crioulo", consiste em perseguir e laçar um bezerro com 40 dias de idade, que pode sobreviver com traumas e corre o risco de morrer na arena
Depois de ser aprovado em quatro comissões da Câmara dos Deputados, um projeto de lei de autoria do deputado Giovani Cherini (PL-RS) que visa elevar o “rodeio crioulo” à atividade da cultura popular está aguardando apreciação do Senado.
Se o PL 213/2015 for aprovado e sancionado, práticas como provas de laço, vaquejada, gineteada, pealo, chasque e cura de terneiro passarão a ser reconhecidas em todo o país como atividades culturais, embora algumas já tenham esse infeliz reconhecimento à luz da legislação brasileira.
No entanto, é válido reconhecer também que com a aprovação do PL de Cherini os defensores do “rodeio crioulo” terão mais um amparo legal a favor do uso de animais como entretenimento e contra ativistas que se opõem a essas práticas por entendê-las como em desacordo com o bem-estar animal.
A prova de laço, por exemplo, consiste em perseguir e laçar um bezerro com 40 dias de idade, que pode sobreviver com traumas e ainda corre o risco de morrer na arena dependendo da intensidade da violência. Em defesa da proposta, Giovani Cherini cita como prioridade os benefícios econômicos.
“Se considerarmos a movimentação econômica envolvendo apresentações artísticas, logística, animais, comércio, vestuário, organização, turismo, entre outros, os diversos Rodeios que acontecem no Brasil, especialmente nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul do país, veremos que os números são extraordinários”, argumenta.
Entre os deputados que facilitaram a aprovação do PL na Câmara, abrindo caminho para que chegue ao Senado, estão Heitor Schuh (PSB-RS), Rodrigo Martins (PSB-PI) e Neri Geller (PP-MT), além do agora ex-deputado e músico sertanejo Sérgio Reis (PRB-SP).
Fonte: anda.jor.br

Caso de cão arremessado sobre muro reacende debate sobre impunidade


O caso do cachorro que foi arremessado por cima de um muro na cidade de Placas, no Pará, reacendeu o debate sobre impunidade. Isso porque a legislação brasileira não prevê prisão para agressores de animais. O caso da serial killer Dalva Lina foi o único que resultou em pena de prisão – o que só aconteceu graças à soma de diversos casos de maus-tratos, já que a criminosa matou dezenas de animais.
Ativistas reforçam, no entanto, a necessidade de uma lei que puna exemplarmente não só casos de mortes de animais em série, mas qualquer crime de maus-tratos. Uma dessas ativistas é a atriz Alexia Dechamps. Através de suas redes sociais, ela comentou a crueldade cometida contra o cachorro no Pará e abordou um projeto de lei que pretende aumentar a pena contra maus-tratos.
Alexia afirmou que não aguenta mais se deparar com casos de maus-tratos e, “no fim, nada acontece com os culpados”. Segundo ela, “já passou da hora de mudarmos a legislação” e “o projeto de 1095/19 do @fredcostadep é a solução.
A proposta, de autoria do deputado Fred Costa (PATRI/MG), aumenta a pena para quem comete maus-tratos a animais. Atualmente, os agressores podem ser punidos com até um ano de detenção – punição que costuma ser substituída por penalidades alternativas, como prestação de serviços à comunidade.
Na proposta, o parlamentar explica que “a detenção é aplicada para condenações mais leves e não admite que o inicio do cumprimento seja no regime fechado. Como regra geral, a detenção é cumprida em regime aberto ou semiaberto, conforme estabelece o art. 33 do nosso Código Penal”.
Por essa razão, Fred Costa propõe uma pena de reclusão de um a quatro anos, além de multa. Na justificativa da proposta, o deputado explica que, “ao determinar pena de reclusão, de um a quatro anos, para a prática de crimes de maus tratos, este projeto visa aumentar o rigor legal com o objetivo punir e coibir a prática desses delitos”.
“A pena de reclusão é aplicada a condenações mais severas, o regime de cumprimento pode ser fechado, semiaberto ou aberto, e normalmente é cumprida em estabelecimentos de segurança máxima ou media, de acordo com o art. 33 do Código Penal”, completou o parlamentar.
A proposta foi aprovada na Câmara dos Deputados e aguarda apreciação do Senado Federal. Em sua publicação nas redes sociais, Alexia Dechamps pediu aos seus mais de 75 mil seguidores que pressionem o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), para que ele coloque o projeto de lei em votação.
“Pauta por favor @davialcolumbre. Vamos repostar e marcar exaustivamente o @davialcolumbre”, pediu a atriz.
Nos comentários, internautas apoiaram a iniciativa de Alexia. “@davialcolumbre coloque na pauta o PL de maus-tratos com animais”, escreveu uma usuária do Instagram. “@davialcolumbre não aguentamos mais tanto maus-tratos e a impunidade para os agressores”, disse outra.
Fonte e foto: anda.jor.br

‘Isso precisa acabar’, diz Paolla Oliveira sobre cão arremessado por cima de muro


Reprodução/Instagram/@paollaoliveirareal
A atriz Paolla Oliveira criticou o homem que arremessou um cachorro por cima de um muro na cidade de Placas, no Pará. A crítica foi feita em uma publicação nas redes sociais.
Paolla, que é conhecida por sua dedicação à causa animal, aproveitou o caso para chamar a atenção de seus seguidores para casos de maus-tratos.
“Infelizmente, preciso começar a semana com essa imagem aterrorizante. Mas é importante que as pessoas vejam até onde vai a maldade humana”, escreveu a atriz.
Na publicação, Paolla expôs um vídeo que mostra a agressão cometida contra o cão e pediu mudanças na legislação brasileira.
“É por isso que a gente faz campanha e corre atrás de mudanças significativas na lei para punir pessoas como esse cara. Isso acontece com mais frequência do que muita gente imagina, mas precisa acabar!”, disse.
O agressor do animal, Rafael Lambert Cavalheri, de 30 anos, confessou o crime. Ele responderá por maus-tratos a animais e as outras pessoas que estavam na residência onde o crime foi praticado responderão por omissão.
O cachorro não sofreu ferimentos e, após ser resgatado, ficou sob a responsabilidade de um médico veterinário.
Fonte : anda.jor.br

Cadela idosa é abandonada acorrentada por sua família – seu rosto reflete a tristeza que isso lhe causou


Nossos cães idosos merecem viver seus anos dourados em êxtase. Infelizmente, esse nem sempre é o caso.
 Essa pobre garota, chamada Athena, foi abandonada do lado de fora. Ela foi deixada para trás quando sua família se mudou. Eles não se importaram o suficiente para levá-la com eles. Ela ficou sozinha, com uma corrente pesada em volta do pescoço.
Sua condição era comovente. Não era só ela que estava sozinha, mas ela parecia tão arrasada.
 Nenhum cachorro merece isso, muito menos um cachorro que estava com uma família há tanto tempo. Imagine como ela se sentiu! Ela só sabia como ser o animal de estimação amado dessa família, apenas para ser deixada para trás.

Ela assistia enquanto cada veículo passava por ela, esperando que parassem e lhe desse comida e água. Não é assim que se vive! Finalmente, uma socorrista chamada Laurica Nagel, ouviu falar de Athena e foi direto para salvar sua vida.
Uma vez segura, Athena foi levada à clínica médica. Considerando tudo o que ela passou e sua idade, ela estava com uma saúde decente. Ela tinha pulgas e carrapatos e estava cega de um olho, mas por outro lado, estava em boa forma.
Após sua visita ao veterinário, ela foi levada para um abrigo local. Felizmente, ela não teve que ficar no abrigo por muito tempo. Alguém se aproximou para adotá-la! Seu lar adotivo é incrível. Ela tem muitos amigos caninos e sua mãe adotiva dá muita atenção aos idosos.
O grupo de resgate estava particularmente preocupado em encontrar um lar para sempre para Athena. A maioria das famílias quer cães jovens. Infelizmente, cães como Athena são frequentemente esquecidos.

Mas ninguém ia desistir dela. Em breve, com a ajuda das mídias sociais, a família perfeita adotou-a. Eles conseguiram ver que, embora ela seja mais velha e se mova um pouco mais devagar, ela ainda é um cão que merece um coração de ouro.
Athena agora passa seus dias se sentindo segura e amada. Sua nova família tem muitas terras para ela vagar.
Talvez sua família original não pensasse que ela valia muito, mas isso é para sempre no passado. Eles não a mereciam de qualquer maneira!
Estamos muito gratos por este final feliz! Athena é digna, assim como todos os cães. Lembre-se, os idosos também precisam de casas e fazem animais de estimação maravilhosos.

Jovem diz que cachorro de estimação foi morto em ação policial e denuncia caso em rede social, em Manaus, AM


Alex Sanderson, 24, denunciou em sua conta do Facebook a atitude de policias militares que resultou na morte de seu cachorro, Charles. O caso ocorreu na madrugada de segunda-feira (25), no bairro Jorge Teixeira, zona Leste da capital. 
“Polícia entra no quintal da minha casa, murado bem alto, dizendo que tava atrás não sei de quem sendo que tava tudo trancado, atiraram e mataram meu cachorro sem motivo algum”, escreveu o jovem em uma das publicações. 
Ainda segundo ele, os PMs não apresentaram motivos claros para tal atitude. O animal foi levado para uma clínica veterinária, mas não resistiu aos ferimentos. Ele foi atingido com dois tiros. 
Fonte e foto: Portal Holanda


Estudante adota cão que salvou com parada cardíaca na rua


O estudante Lucas Martins adotou o cachorro que salvou esta semana, com parada cardíaca no meio da rua. 
Assim, que um tio encontrou o cãozinho, no sábado 23, em uma casa abandonada na cidade onde mora – em Piranhas, Goiás – Lucas Martins ligou para contar uma boa nova para o SoNoticiaBoa.
O estudante de medicina veterinária primeiro levou o bichinho para uma clínica, onde foi constatado que, apesar de subnutrido e ter doença de carrapato, o cachorro passa bem.
Lucas disse ao SnB que, mesmo com os pais em dificuldade financeira, por causa do isolamento social, eles aceitam ficar com o cachorro em casa. “Minha mãe até chorou”, contou o Lucas durante uma live que fizemos com ele neste sábado no Instagram do SóNotíciaBoa.
Assim, o cão ganhou um lar e uma família para cuidar dele.
Corrente do bem
A boa ação do Lucas e dos pais dele gerou uma corrente do bem na cidade.
A clínica veterinária Klinvet não cobrou pela consulta, pelo corte de unhas, nem pelo banho – para a retirada de carrapatos – do cãozinho.

A primeira dama Adriele e o prefeito da cidade, Eric, também ajudaram. Eles pagaram os medicamentos usados pela clínica para tratar o cachorro.
Lucas também contou ao SnB que recebeu uma ligação do cantor Lucas Lucco, pedindo o endereço do estudante de veterinária. O artista disse que vai mandar ração para ajudar a alimentar o bichinho.
Como sempre dissemos, coisa boa atrai mais coisa boa…
O nome
Agora, falta um nome para o cachorro.
Lucas vai deixar os seguidores, que acompanharam a saga do salvamento e as buscas pelo cãozinho, escolherem em uma enquete que está fazendo no Instagram:  @lucas_martins6
Bora ajudar a escolher?
Por Andréa Fassina
Fonte e foto: Só Notícia Boa


Obs: na primeira matéria colocaram Piranhas Alagoas. Na realidade é Piranhas de Goiás.