Pages - Menu

domingo, 8 de dezembro de 2019

Adolescentes compartilham nas redes sociais vídeo de abuso de cachorro filhote


Por
Eliane Arakaki, ANDA
-
As imagens foram amplamente visualizadas on-line e provocaram indignação nos usuários das redes sociais que demostraram temor de que o animal tenha sido submetido à dor ou exposto a drogas.
 Foto: Eats Idaho News
Um grupo de abusadores de animais foi filmado rindo enquanto aparentemente tentava fumar a pata de um filhote de cachorro.
Os fumantes não identificados, são de Idaho Falls, no estado de Idaho, nos Estados Unidos, gravaram a si mesmos batendo (como se estivessem batendo brasa) um cigarro eletrônico no pé do animal e depois tentando beber um líquido amarelo acastanhado que havia se acumulado nele.
Eles compartilharam seus atos na rede social Snapchat, com a legenda “Ele vai fumar o cachorro cara”, acompanhada de dois emojis chorando de rir.
O incidente foi amplamente compartilhado on-line e provocou indignação nos usuários das redes sociais que demostraram temor de que o filhote tenha sido abusado, submetido à dor ou exposto a drogas.
O Gabinete do Xerife do Condado de Bonneville resgatou o cão depois que o clipe foi enviado ao jornal East Idaho News.
O filhote é uma cachorrinha e ela está sendo cuidada, e foi anunciado que está segura e bem. Uma mulher que afirma ser mãe de uma das duas garotas retratadas no fundo do vídeo entrou em contato com o News para tentar explicar o vídeo.
Foto: Eats Idaho News
A mulher sem nome disse: “Você precisa saber que eles sabem que o que fizeram foi extremamente estúpido e perigoso. Eles nunca machucaram animais no passado. Elas são boas garotas. Eu levei o filhote para a ONG e uma investigação está sendo feita.”
Os delegados do Condado de Bonneville agora estão trabalhando para identificar todos no vídeo e tentar estabelecer responsabilidades sobre o ocorrido.
Fonte : anda.jor.br
NOTA DO SITE: assassinas, vagabundas

Homem transforma caixas térmicas descartadas em casinhas para gatos de rua


Em meio ao inverno no hemisfério norte, os animais domésticos que vivem em situação de rua, entre cães e gatos, precisam lidar com temperaturas ainda mais baixas.
Felizmente, há pessoas que estão se empenhando ao máximo para garantir que eles tenham um lugar quente para dormir.
Uma delas é Philip Rogich, morador de Ogden, Utah (EUA).

Abrigos improvisados para gatos de rua
Philip usa caixas térmicas descartadas e as transforma em casinhas quentes para os felinos dormirem em meio à fria estação.
“Vi um post no Facebook sobre um homem que fez [as casinhas] e pensei em fazer também. Fiz meu próprio post em busca de caixas térmicas velhas e ele viralizou”, escreveu. A partir de uma série de doações de anônimos, o norte-americano começou a adaptar as caixas.
“Eu também faço trabalho de caridade com crianças. Minha esposa e eu também somos amantes dos animais e eu queria fazer algo por eles”, disse Philip.
“Até agora, sou o único que está trabalhando com as caixas neste projeto. Fiz um vídeo instrutivo para que outras pessoas ao redor do mundo possam fazer também”, disse Philip.
“Dentro da caixa, preencho-a com palha, que naturalmente aquece aquilo que está envolvendo. Ela é perfeita para manter os gatos confortáveis em meio ao frio”, concluiu.
Por Gabriel Pietro
Fonte e fotos : Nation via Razões para Acreditar 


Peixe-boi ‘Vitória’ é encontrada morta no Litoral Norte da Paraíba


A peixe-boi “Vitória” morreu na quinta-feira (5), após ser encontrada encalhada próximo à Praia de Pavuna, no Litoral Norte da Paraíba. Ela faria 5 anos neste mês e foi reintroduzida no estuário da Barra do Rio Mamanguape há pouco mais de uma semana. A peixe-boi fêmea passou por quatro anos de reabilitação após ter sido encontrada em 2015 em Rio Tinto.
Em nota divulgada nas redes sociais, o projeto Viva o Peixe-Boi Marinho (PVPBM), contou que “Vitória” estava sendo monitorada pelas equipes do projeto e da Área de Proteção Ambiental (APA) da Barra do Rio Mamanguape com o auxílio de tecnologia de monitoramento via satélite. Durante os primeiros dias de soltura, ela apresentou um comportamento satisfatório, estava se alimentando bem, interagindo com outros peixes-bois da região e ganhando cada vez mais independência.
Contudo, na noite desta quarta-feira (4), o projeto recebeu uma mensagem de um colaborador de uma comunidade litorânea informando que havia encontrado um peixe-boi marinho morto, próximo à praia da Pavuna, Litoral Norte da Paraíba. A equipe do PVPBM foi até o local e constatou que era “Vitória”.
Ainda segundo a nota, a médica veterinária do projeto Vanessa Rebelo está realizando a necropsia do animal, coletando amostras de órgãos e tecidos para análises laboratoriais que apontem a possível causa da morte. 
Relembre o resgate de ‘Vitória’
Assim como a mãe, Vitória foi encontrada, encalhada na Praia do Oiteiro, ainda filhote, no Litoral Norte da Paraíba, em janeiro de 2015, na APA da Barra do Rio Mamanguape, por pescadores locais. Aparentemente bem, a fêmea apresentava ainda resquícios do cordão umbilical, sugerindo que havia se separado da mãe há pouco tempo.
Durante o resgate, as pessoas que estavam no local tentaram localizar nas proximidades da região do encalhe a mãe ou algum grupo de peixes-bois para que o animal fosse devolvido ao se habitat natural. O pescador batizou o animal de “Vitória”.
Desta forma, ela foi encaminhada para o Centro de Reabilitação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, na Ilha de Itamacará, em Pernambuco, onde permaneceu por 4 anos em oceanários. Em abril deste ano, “Vitória” voltou para a APA da Barra do Rio Mamanguape e ficou em um recinto de readaptação em ambiente natural por sete meses, numa espécie de treinamento para a vida livre, vivenciando a variação das marés, o manguezal, alimentando-se de algas da região, convivendo com outros organismos vivos.
No dia 24 de novembro, após exames clínicos e análises comportamentais, “Vitória” estava apta para a soltura e foi reintroduzida no estuário da Barra do Rio Mamanguape. Em novembro foi lançado também O curta-metragem documental “Vitória” que tem duração de 15 minutos com entrevistas de vários personagens envolvidos em todo o processo na grande operação que foi mobilizada para devolver o animal, já adulto, de volta ao mar.
Fonte e foto: G 1

Atleta vegana Fiona Oakes critica exploração de cães na corrida de trenós de Iditarod, no Alasca


Uma corredora recordista mundial criticou uma corrida internacional nos EUA devido ao tratamento dispensado aos cães.
Fiona Oakes, maratonista e chefe do santuário de animais Tower Hill Stables, em Dengie, escreveu ao CEO da corrida anual Iditarod pedindo para que ele retire os cães da corrida de 1.600 quilômetros.
Descrita como a “última grande corrida da Terra”, a Iditarod envolve equipes de 14 cães que puxam trenós pelo Alasca ao longo de duas semanas. Mas o evento foi alvo de críticas do grupo de direitos dos animais PETA, que declarou que os cães sofrem por correrem longas distâncias.
A vegana Fiona apoiou a campanha ao escrever uma carta a Rob Urbach, do comitê Iditarod Trail, em uma tentativa de convencer os organizadores da corrida a darem uma “direção nova e humana” à competição.
Ela disse: “Patrocínios perdidos, reservas financeiras esgotadas e revelações severas mudaram irrevogavelmente as percepções em relação à corrida.
“Mas o mais significativo de tudo é a onda de oposição pública por forçarem os cães a percorrer grandes distâncias, às vezes às custas de suas vidas.
“Vocês podem transformar algo que é cada vez mais visto como um teste de tortura para cães em um evento de elite de classe mundial, simplesmente ao reinventar a Iditarod para que ela celebre o verdadeiro talento e resistência humanos.
“Ao substituir os cães por atletas de elite que demonstram suas próprias habilidades e resistência, a Iditarod atrairia um público novo e crescente, e pouparia os cães de uma vida de dor e miséria.
“Eu seria um dos muitos atletas ansiosos para participar de uma corrida tão revitalizada.”
O site da Iditarod diz que os cães recebem “cuidados exemplares”.
Fiona possui quatro recordes mundiais do Guinness e quatro recordes de maratona, completou a Marathon des Sables (Maratona das Areias) três vezes e venceu a Maratona de Gelo Antártica e a Maratona do Polo Norte.
Um filme intitulado Running For Good acompanha suas realizações.
Por Pape Gueye / Tradução de Alda Lima
Fonte e foto: Maldon Standard
                              

18 kg de plástico removido do estômago de uma vaca na Índia


Quase 18 kg de lixo plástico foram removidos em cirurgia do estômago de uma vaca doente que havia sido admitida na Bombay Society for the Prevention of Cruelty to Animals (BSPCA) na cidade indiana de Parela. Infelizmente, o animal não sobreviveu.
“Esse é mais um lembrete para as pessoas pararem de usar produtos de plástico ilegais como sacolas. Nossos veterinários operaram com sucesso a vaca no último dia 30, quando removeram quase 18 kg de lixo plástico do rúmen (um dos estômagos da vaca). No entanto, apesar dos cuidados pós-operatórios, o animal morreu às 10h30 do dia seguinte”, disse o tenente-coronel J. C. Khanna, secretário da BSPCA.
Ele acrescentou que a vaca foi levada pelo seu tutor ao subúrbio de Borivali em 7 de novembro, depois que ela parou de comer. “Primeiro colocamos a vaca em uma dieta líquida e depois examinamos seu estômago. Havia uma massa endurecida acumulada em seu rúmen, que mais tarde descobrirmos serem sacos plásticos descartados e outros lixos que a vaca havia comido enquanto procurava comida”, disse Khanna.
Ativistas dos direitos dos animais reiteraram a necessidade urgente de se parar de usar os sacos plásticos proibidos. “Até hoje, vendedores ambulantes vendem frutas e legumes nessas sacolas plásticas. As autoridades municipais precisam tomar medidas firmes contra esses vendedores ambulantes nas estações ferroviárias e seus arredores”, afirmou um ativista, que pediu anonimato.
Khanna acrescentou que o lixo plástico que chega ao mar também tem afetado as criaturas marinhas.
Por Vijay Singh / Tradução de Alda Lima
Fonte e  foto: Times of India


Portugal: Renas já não voltam à Capital do Natal


As duas renas que estiveram na Capital do Natal, em Oeiras, não vão voltar àquele recinto, informou a organização, anunciando que decidiu retirar definitivamente os animais do evento. 
“Apesar de considerarmos estarem reunidas todas as condições ideais para o bem-estar dos animais, condições essas que foram atestadas por todas as entidades envolvidas no processo de certificação, antes e após a abertura do Parque, somos sensíveis aos comentários e diferentes percepções que temos recebido, e optámos por retirar as renas do recinto, de forma a não ferir a susceptibilidade de quem nos visita”, diz a empresa promotora, a Christmas Fun Park, num comunicado enviado esta quarta-feira. 
Nos últimos dias começaram a circular, nas redes sociais, fotografias de duas renas deitadas numa alcatifa verde molhada e enlameada, dentro de uma cerca de madeira, tiradas por visitantes dos parque, que motivaram algumas críticas à organização. No entanto, a Christmas Fun Park diz que estas renas, que pertencem à entidade Burros do Magoito, “foram acompanhados em permanência por um tratador com conhecimentos adequados para garantir o maneio, alimentação, limpeza ou qualquer outra necessidade para o seu bem-estar, bem como por um veterinário”, durante a sua permanência no recinto. 
A organização diz ainda que as renas “estiveram sempre soltas em exposição, numa área de cerca de 200 metros quadrados, muito para além do mínimo recomendável, de forma a assegurar o seu bem-estar e adequada segurança”. 
Na terça-feira, numa publicação na sua página de Facebook, o IRA – Intervenção e Resgate Animal deu nota que, “no seguimento da onda de indignação contra a utilização de renas” no parque, contactou o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), que “garantiu que os animais seriam retirados” no decorrer da noite de segunda-feira.
Em resposta ao PÚBLICO, o ICNF disse que “procedeu a uma acção de fiscalização no local, tendo verificado que apesar da espécie de Rena da Lapónia (Rangifer tarandus) “não estar inscrita nos anexos da Convenção sobre o Comércio das Espécies da Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES), e portanto isenta de licenciamento ao abrigo desta convenção, a entidade responsável pelo evento não era detentora da necessária licença para exposição de animais exóticos”. Por isso, foi levantado auto de notícia por contra-ordenação e os animais foram retirados do parque. 
Ainda na terça, em sessão da Assembleia Municipal de Oeiras, o vereador Nuno Neto explicou que a câmara de Oeiras tinha feito já uma vistoria antes da abertura de portas da Capital do Natal, tendo sido “verificados os animais e as suas condições de saúde”. Entretanto, após as críticas que surgiram, foi feita nova vistoria às condições de acomodação dos animais pela médica veterinária municipal. 
“Foi possível verificar que as condições de alojamento das duas renas, tanto no espaço interior como no espaço exterior, cumprem todas as imposições legais. Apurou-se ainda que as condições de maneio dos animais em questão são as adequadas à espécie”, disse o vereador, citando o relatório preliminar da vistoria, concluindo que após a emissão da licença pelo ICNF estavam reunidas as condições para que os animais voltassem ao local. Com esta decisão da empresa organizadora não voltarão mais ao recinto. 
Por Cristiana Faria Moreira 
Fonte e foto: Público / mantida a grafia lusitana original 


Cachorro de Tatá Werneck e Rafa Vitti não sai de perto da filha do casal


Por
Mariana
-
Reprodução/Instagram/Rafa Vitti
O pai de Clara Maria, que tem pouco mais de um mês de vida, afirmou que “foi amor à primeira cafungada”

O ator Rafa Vitti usou as redes sociais para mostrar a amizade que está se formando entre um dos cães de sua família e sua filha, que nasceu há pouco mais de um mês.
Reprodução/Instagram/Rafa Vitti
Clara Maria, filha do ator com a apresentadora Tatá Werneck, conta com a companhia do cachorro integralmente. As informações são do R7.
Rafa afirmou que “foi amor à primeira cafungada”. O ator contou que Gato, como é chamado o animal, não desgruda de Clara.
“O bichinho passou a noite deitado na porta do quartinho dela… e segue ela para todo canto. Impressionante! Sinto uma amizade verdadeira começando”, escreveu Rafa.
“Ele está muito apaixonado, não estou sabendo lidar”, completou o ator.
As imagens da dupla divulgadas por Rafa encantaram os internautas. “Amor dos animais é tão puro”, escreveu um deles.
Fonte: anda.jor.br